Terapia do sono como recurso de apoio

terapia do sono

 

Terapia do sono como recurso de apoio

O que é a terapia do sono? Texto escrito pela colaboradora Juli Lanser Mayer : https://www.facebook.com/juli.lanser

Nota 1 : a Autora Juliana Lanser Mayer praticou estas técnicas com o filho autista, porem as mesmas podem ser aplicadas em crianças de forma geral.

Nota 2: O texto foi extraído do perfil de facebook da autora, com autorização expressa da mesma. 

A terapia do sono consiste em conversar com seu filho enquanto ele dorme, usando palavras de amor, afeto, gratidão, verdade e resignação…
Através do Amor e da Empatia, ela tem trazido vários benefícios para todas as pessoas e especialmente para crianças…
Quanto mais nova a criança mais benéfico se faz…
Já ouviram aquelas “crenças” populares onde dizem: Falar com o bebê durante a gestação faz ele nascer mais tranqüilo, ou o bebê que se acalma com palavras de carinho no colo de pessoas que tem afinidade…
Pois bem, tudo isso faz parte desta “Terapia do Sono”…

Qual o fundamento e base da Terapia do Sono?

R: Fortalecer os laços/vínculos, ampliar conexões, superar desafios, fazer ajustes e etc…
É a prova viva de que com AMOR, FÉ, EMPATIA e DEDICAÇÃO as coisas melhoram, traumas amenizam, aprendizados passam a ser com mais resiliência, auxilia na mudança de pensamentos negativos para se tornar mais saudável e mais adaptável as mudanças e melhora muito o humor…
Acredite, o AMOR verdadeiro é capaz de curar (a alma), aliviar corações e trazer para perto quem por hora está distante do seu coração…

Quais os fatores mais importantes na terapia do sono?

R: O AMOR e a EMPATIA com toda certeza… Porém, é preciso falar somente a verdade, dizer exatamente o que você sente, sem máscaras, sem fantasiar, sendo objetivo e tendo empatia… Nunca minta ou tente convencer a pessoa que você estiver conversando a fazer ou ter mudanças das quais você não acredita ou não as pratique também, pois, lembre-se que a mudança começa em nós…
Por exemplo: Se pedimos para nossos filhos terem mais paciência e ser menos agressivos, que sejamos assim também.. Se pedirmos para que eles falem (no caso de autistas), que tenhamos ouvidos de ouvi-los e não apenas querendo falar por falar, não dar a devida atenção ao que é verbalizado…
Se dissermos que os amamos, que possamos demonstrar verbalmente e através de nossas atitudes que isso é realmente verdade…
De nada adianta falar de Amor com seu filho dormindo e durante o dia quando ele está acordado você não ter paciência, gritar, surtar, bater e por ai vai…
Por isso, insisto em dizer que a terapia é uma mudança de hábitos para os pais, mais do que para seus filhos, pois eles serão reflexos de tudo isso e um lar harmonioso traz tranqüilidade para todo entorno…

Quem deve fazer ou aplicar a terapia do sono?

R: Quem tiver forte afinidade com a criança… Quanto maior o vínculo, maior o ajuste e as mudanças…
Por isso, o ideal é que sejam os pais, responsáveis pela criança ou avós, pois ninguém terá mais afinidade e conhecerá melhor seu filho do que seus pais…

Quanto tempo após a criança/pessoa dormir devo iniciar a terapia do sono?

R: Não tem um “tempo” determinado, o ideal é se certificar que a pessoa esteja dormindo a ponto de não acordar quando você estiver conversando com ela.

Quanto tempo (horas e dias) devo fazer a terapia do sono?

R: A questão de tempo conversando não tem algo definido, mas sempre oriento a não falar mais de 30 minutos… Neste caso menos é mais, eu, por exemplo, converso entre 5 á 15 minutos no máximo…
Agora quanto ao tempo em dias, isso eu diria para fazer a vida toda, sempre que houver a necessidade, sempre que houver algum ajuste para fazer, até que vocês conseguiam juntos viver em harmonia; que seja respeitando o tempo de aprendizado de cada um, assim como as diferenças e amando incondicionalmente… Você não precisa falar todos os dias com seu filho dormindo, pois de nada adianta falar com o filho sem vontade, de forma mecânica e sem sentimento naquele momento…
Obviamente, que para terapia começar a ter resultados é preciso que haja uma dedicação, um comprometimento, uma mudança real de hábitos e freqüência nessas conversas, quanto maior a freqüência, sintonia e sentimento, mais benefícios trará.

Quantos assuntos podem ser abordados durante a terapia do sono?

R: Primeiro, eu diria para falar tudo que lhe angustia, seus medos e principalmente o que no momento mais te aflige e é importante para você, sempre afirmando que amas e estais disposta á auxiliar e se dedicar mais ao seu filho ou a pessoa dá qual dirige a palavra…

Aqui específico para filhos => Após esses primeiros dias fazendo uma “sessão desabafo”, eu diria para refletir sobre toda trajetória do seu filho, as coisas boas e ruins que lhe vem a memória desde que você descobriu a gravidez…
Como se você estivesse relatando tudo isso para seu filho, e quando fizer esse movimento fique atenta a cada sentir, a cada sentimento que desperta essas lembranças, quando as sensações e sentimentos foram de amor seja grato, quando for de raiva peça perdão… Cada lembrança e trauma revivido pode ser reajustado e modificado de um sentimento ruim para o perdão, auto perdão e enfim, para seguir sem carregar essa culpa…

Acima foram respondidas as perguntas mais frequentes…

Quem tiver mais alguma pergunta pode deixar abaixo dessa publicação que tento responder assim que puder…

Agora, daqui para baixo vou citar meu relato sobre a Terapia do Sono com meu filho Rafael, diagnosticado com Autismo:

Em abril de 2015, depois de inúmeras preocupações com nosso filho Rafael devido ao atraso na fala, não fazer contato visual, não se reconhecer pelo nome, ter hipersensibilidade á algumas texturas, seletividade alimentar, não dormia quase nada, era extremamente calmo, se isolava, enfileirava carinhos/brinquedos e outras tantas particularidades que não vem no momento ao caso, pois bem tivemos o diagnostico de autismo severo não verbal, logo de cara, pelo primeiro neuropediatra que nos atendeu, e, após, fomos em mais 3 neuros até decidirmos ficar com a ultima médica que nos atendeu e nos passou mais segurança…

Em meio a uma série de sentimentos e situações que (quem quiser saber mais relato numa live que fiz no facebook em dezembro de 2016) vinham à mente, eu refletia muito sobre o fato de, apesar do Rafael não falar, eu nunca havia deixado de compreendê-lo, não precisava verbalizar, pois, ao olhar para ele eu sabia suas necessidades, eu sentia ele conectado comigo, porem, fechado à todo o restante do mundo, foi então que lembrei que quando eu ficava angustiada eu conversava com meus outros filhos dormindo, era um hábito comum meu e acredito que muitos pais tenham esse hábito também…

Porém, com o Rafael eu sentia que isso precisava ser feito de forma diferente, a conversa no sono seria algo mais profundo do que apenas falar, eu te amo incondicionalmente e infinitamente meu filho…

Então em conversas com alguns amigos, estudando sobre o assunto mais profundamente e de forma direcionada, percebi que poderia sim, fazer isso com ele…

Qual era o caminho? Aquele que chegasse mais próximo do seu coração, que tivesse a verdade na sua essência exatamente como ela é…

E então eu mergulhei para dentro de mim mesma e decidi que com TODO MEU AMOR, COM TODA MINHA FÉ, COM TODA MINHA DEDICAÇÃO, eu ajudaria meu filho a se ligar ao mundo, eu o traria para o presente, eu o tiraria do seu isolamento e silêncio sem fim, eu seria a voz dele o quanto ele precisasse, e eu dedicaria minha vida para que ele pudesse avançar e ser feliz do jeitinho dele…

Esse processo me levou a pensar deste o momento da descoberta da gravidez até a idade que ele se encontrava naquele momento; passei a analisar TUDO que aconteceu, levando em conta não apenas fatos marcantes, mas os sentimentos que tinha em vários momentos; passei pela hora do parto, pelo seu primeiro aninho, pelas angustias e medos ao ver alguns atrasos visíveis, a descrença, a negação de que tudo tem seu tempo e por ai vai…

Foi então que chegou o primeiro dia que eu estabeleci para começar a terapia do sono, basicamente 20 dias após a data do diagnóstico de Autismo, e chegou a hora de colocar para fora o que eu sentia, o que eu esperava dele, o quanto eu me importava, amava e amo, o quanto ele representava para mim e… Eu não consegui falar, desabei em lágrimas e tudo que estava guardado dentro de mim veio a tona, foram 3 noites de lágrimas intensas ao lado dele e eu certa do que estava e do que queria fazer, busquei então uma música que falasse tudo o que eu queria dizer a ele…
Fiquei quase 2 horas na busca de uma música perfeita quando então, achei uma música que era em inglês, mas que tinha a legenda com dizeres que eu fiquei encantada (Música: Everything- Legendado com interpretação do Boyce Avenue) https://www.youtube.com/watch?v=8PL7xoPlNhk

e coloquei para ele ouvir enquanto eu chorava e compactuava com aqueles lindos dizeres…

Então no quarto dia, comecei a falar de fato com ele, eu dizia o quanto o amava, o quanto ele falar para mim era importante para que eu tivesse a segurança de que ele saberia se comunicar com as outras pessoas, mesmo que comigo essa comunicação sempre existiu, tamanho é o laço e empatia que temos um com o outro, pedi que ele me olhasse, que ele me perdoasse pelas minhas falhas dentro da ignorância…

Dia após dia fui relatando a ele durante seu sono, desde o dia que soube que estava grávida até os dias atuais, eu literalmente contava a história de vida dele e no final eu sempre afirmava o quanto o amava, o quanto queria que ele estivesse mais presente, além de tudo que ele representa pra mim…

Logo na primeira semana dessas conversas durante o sono, ele começou a fazer contato visual, ele me olhava de forma verdadeiramente curiosa, como se me analisasse e eu via que ele estava entendendo tudo que estava se passando…

Mais alguns dias e ele,começou a apresentar alguns interesses, como ficar mais perto, olhava mais, se mostrava receptivo e o isolamento intenso, foi se tornando cada dia mais suave (mas não deixou de ser uma particularidade dele até os dias atuais)…

Ele começou então terapias convencionais (Fonoaudióloga, Terapeuta Ocupacional, Psicopedagoga e Educadora Especial), mesmo nas terapias ele avançava de forma visivelmente rápida, mas sem ter a tão esperada fala…

Passaram alguns meses de Terapia no Sono, até que um dia ele ao acordar começou a falar, eu não entendia nada, mas estava feliz por que era algo para se apegar, e em sessões com a fono dele observamos que na verdade ele estava falando inglês, fluente e com sotaque, não se tratava de uma ecolalia, não era uma repetição, pois ele respondia o que era perguntado em inglês…
Porém, essa comunicação em inglês do Rafael dificultou nosso dia a dia, pois não compreendíamos na maioria das vezes o que ele queria dizer, então fui em busca de pessoas que pudessem traduzir o que ele queria me dizer (Gratidão Anna e Anelize), e assim aos poucos conseguia ir decifrando o que ele queria dizer…

Porém, teve um dia, em que ele teve um crise intensa, algo que ele nunca havia tido antes e entrei em desespero, pois não fazia idéia do que acarretou tudo isso (… encurtando história) em dado momento ele pega o tablet, entra no YOUTUBE, escreve RISE, observa quem cantava e foi direto no vídeo em que era interpretado por Boyce Avenue e me deu o tablet para ouvir, ele me fez ouvir mais de 20x seguidas essa música e na 15x eu vi que tinha a música com legenda e rapidamente coloquei a versão com legenda do mesmo “vídeo”, foi quando em prantos li toda letra da música e olhei para ele perguntando se era isso que ele queria me dizer e ele sorrindo, dando pulinhos e chacoalhando as mãos me diz: Yeeeees You See…
E ali, em meio a uma das crises mais terríveis que tivemos dentro do “Autismo” com o Rafa é que fui salva por ele, fui transformada por ele… E tenho certeza que a mensagem dessa música é condizente para muitos AUTISTAS…

Agora voltando ao nosso objetivo que é a terapia do sono…

Alcançado meu primeiro objetivo, que seria ter uma comunicação verbal com o Rafael , hoje (Dia 07/01/2017) o Rafael continua se expressando muito bem em inglês, sabe falar em português, mas tem sotaque como se fosse um americaninho falando português, já sabe ler e escrever em inglês e português, porém apesar de saber ler em português, ele não fala frases básicas como: Estou com fome, estou com sono, quero fazer xixi e por ai vai… Coisa que em inglês ele fala e eu não entendo, pois não falo inglês…
Sobre a construção de frases espontâneas em português estamos trabalhando na terapia do sono e acredito que em breve teremos também, confio nisso…

E assim, tem sido nossos dias, um dia de cada vez, com fé, amor e resiliência…

E por fim, gostaria de deixar uma mensagem a todos os pais que pretendem fazer a terapia do sono:

Confiem em vocês, confiem na sua intuição, acreditem que laços de amor são eternos e que a dificuldade que hoje lhe visita pode ser aliviada ou até curada através do AMOR…

O AMOR é a maior força, o maior bálsamo e o melhor caminho para curar tua alma e teu espírito, não duvides da força dele e faça dele teu maior escudo, tua maior proteção e tua melhor missão…

Eu poderia citar vários casos de pessoas que conheço e que auxiliei orientando sobre a terapia do sono, mas deixo aberto para que os relatos sejam feitos pelas famílias que se sentirem a vontade de falar…

Meu intuito ao orientar não é trabalhar com isso, sou apenas uma mãe que vendo os avanços no seu filho, sabendo que a espiritualidade nos auxilia o tempo todo, e que absolutamente nada acontece por acaso, se coloca a disposição para auxiliar quem necessita de orientação para que tenha as mesmas alegrias que tive e que tenha o mesmo alívio no coração que carrego hoje…

Me sinto em Paz em deixar essa mensagem, pois sei que ela chegará as pessoas certas, e que ela mude a sua vida como mudou a minha…

E por último, quero deixar uma mensagem bíblica que diz:

“CONHECEREIS A VERDADE E ELA VOS LIBERTARÁ” (Jesus)

E a responsabilidade de quem a conhece, é dividir a informação com quem estiver mais próximo para que ela se multiplique e outras pessoas possam ter a oportunidade de ser feliz… (Anete Guimarães)

Que assim seja…

Forte abraço a cada pessoa que leu, compartilhou, contou sua história, me mandou mensagens de carinho e amor ao ver a reportagem do meu filho…

Sintam se abraçados e com minha gratidão!

Juliana Lanser Mayer

Autor: Ju Hodar

Mãe , Esposa e Profissional Apaixonada por crianças e tudo o que podemos aprender e ensinar . Não lido bem com gente de mau humor Arranjo sempre um tempinho para ficar bem comigo mesma! Sou vaidosa e gosto de inspirar outras mães. Amo moda, maquiagem, cosméticos, perfumes, flores, viagens, passeios, conversas, livros, gatos, comida boa, enfim, amo a vida.... Produzo muito conteúdo digital! Sejam bem vindos !

Deixe uma resposta